São José dos Campos Diário - Conteúdo interativo de notícias, vídeos, esportes, lazer, blogs e jornalismo
04 de agosto de 2016 18:12

Produção de veículos cresce em julho

Sergio Nigro

Por Papo Empresarial

sergio nigro banner sombra

carro

A produção de veículos automotores aumentou em julho com a produção de 189.900 unidades a mais perante junho, quando saíram das fábricas 181.400 veículos, de acordo com balanço da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Na comparação com julho de 2015, a produção caiu. No acumulado do ano, quando foram fabricados 1.205.041 de veículos, houve queda de 20%, porque nesse mesmo período do ano passado a produção chegou a 1.514.001.

Houve alguns problemas pontuais em empresas que tiveram quebra de produção, mas, mesmo assim, houve esse aumento que reflete a elevação de vendas.

Esse número poderia ter sido melhor se algumas empresas tivessem produção mais uniforme.

O licenciamento em julho chegou a 181.400 unidades, o que representou uma elevação perante os 171.800 vendidos em junho.

No acumulado do ano foram comercializados 1.164.094 veículos, praticamente 25% a menos do que no mesmo período de 2015, quando foram vendidos 1.546.057.

Embora esse tenha sido o melhor mês do ano, ainda não conseguimos dizer que isso já é um início de recuperação.

As exportações cresceram 5% em julho de 2016 na comparação com junho de 2915 e foram vendidas ao mercado externo 45.552 unidades contra 43.392 de junho do ano passado.

A Anfavea continua vendo as exportações como alternativa importante para a utilização da capacidade instalada das fábricas, considerada ociosa.

O resultado é bom, mas há espaço para crescimento devido aos acordos comerciais que foram acertados entre Colômbia e Peru.

Esses acordos ainda não foram internacionalizados, mas temos potencial para exportar mais para eles.

Destaca-se ainda, o acordo com a Argentina que dá mais previsibilidade para o setor.

Os dados mostram ainda que houve um ajuste no emprego do setor, com 1.200 vagas a menos do que no mês anterior.

Há 26 mil pessoas em lay-off (suspensão temporária do trabalho) e dentro do PPE (Programa de Proteção ao Emprego).

sergio-nigro-patroc-tempero

Comentários

*Todos os comentários são moderados. Isso quer dizer que nós lemos todas opiniões e damos preferência para aquelas que agregam mais informação, que tenham personalidade e que não ataquem o autor ou outros leitores do site. O seu email não será publicado ou comercializado.*